Área do Cliente

Brasileiros são os mais atacados por vírus que rouba dados bancários

Obrigações Tributárias

  • 17/Fevereiro/2020
  • INSS | Previdência Social.

Indicadores Econômicos

Moedas - 14/02/2020 16:49:12
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Dólar Comercial
  • 4,293
  • 4,295
  • Dólar Paralelo
  • 4,260
  • 4,540
  • Dólar Turismo
  • 4,280
  • 4,530
  • Euro
  • 4,652
  • 4,655
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,372
  • 4,375
  • Libra
  • 5,596
  • 5,600
  • Ouro
  • 219,400
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

O Brasil é o país mais atacado pelo trojan bancário Banload, que infecta o computador ou smartphone por meio de uma campanha de phishing disfarçada em downloads de episódios de seriados ou softwares. Segundo a ESET, 82,9% das infecções do Banload acontecem no Brasil.

Quando o acesso legítimo é feito ao banco, o criminoso passa a ter acesso as funções bancárias da vítima

Também conhecido como “cavalo de Troia”, o trojan serve para roubar informações bancárias e realizar operações ilegais, além do sequestro de contas. Eles chegam até o usuário via email disfarçado: basta o usuário desatento acessar algum link ou descarregar arquivo para que a infecção seja iniciada.

De acordo com a ESET, muitos “arquivos sazonais” são gerados para enganar usuários. Normalmente, utilizando temas que são tendência. A empresa cita como exemplo: “Primeiro episódio da última temporada de Game of Thrones”, “Windows 10 Sem ativação pt_BR 64bits”, cracks para programas conhecidos como o Office, entre inúmeros outros.

O Banload é um trojan usado para carregar diversos tipos de malware. A ameaça mais detectada que utiliza o trojan, diz a ESET, é a família de malwares ClientMaximus — os arquivos maliciosos desta família compreendem 40% das atividades registradas entre janeiro e março de 2019.

O que acontece após a infecção
Assim que a vítima acessa sites de uma das instituições bancárias que o malware está monitorando, o atacante pode tomar ações no host da vítima.

“Quando o acesso legítimo é feito ao banco, o criminoso passa a ter acesso as funções bancárias da vítima e pode manipulá-las como bem entender. Mesmo que o criminoso não tenha armazenado dados de sessão ou de login, ele ainda pode manter uma sessão com o banco através da vítima, ou pode aguardar até que a vítima faça outra transação em um dos sites monitorados para se apossar de mais recursos financeiros. Estes três passos também permitem que o criminoso possa configurar um meio de acesso permanente ao computador de sua vítima, fazendo com que as interações do usuário com o banco não sejam mais necessárias para que o controle ocorra”, explica a ESET.

Para se proteger deste tipo de ameaça, você precisa seguir as dicas abaixo:
Não utilize software pirata nem faça uso de programas que realizam ativação clandestina, também conhecidos como cracks
Sempre assista filmes e séries por meios oficiais
Fique atendo a todos os emails e observe se o remetente e os links presentes na mensagem pertencem realmente à empresa que eles dizem pertencer
Navegue por sites confiáveis ou tenha softwares capazes de filtrar a navegação para endereços suspeitos
Mantenha todos os softwares do computador ou smartphone em sua última versão disponibilizada pelo fabricante e com todas as atualizações de segurança instaladas
Tenha cautela ao acessar links disponibilizados em aplicativos de troca de mensagens, como o WhatsApp – há uma grande quantidade de ameaças que se propagam dessa form
Mantenha os softwares de proteção sempre ativos

Fonte: Tecmundo | 13/05/2019

Matriz
Rua São João, 22, Parte C - Centro
Boituva/SP - CEP: 18.550-000
(15) 3263-1798
Filial
Rua Professor Antonio Olegario Cardoso Filho, 147, Sala 04 - Jd. Professor Benoa
Santana de Parnaiba/SP - CEP: 06.502-045
(15) 3263-1798
padianiauditores@padianiauditores.com.br


Site desenvolvido pela TBrWeb

Este site atende aos padrões exigidos pela W3C
(Validar XHTML / Validar CSS)